Pravda.ru

CPLP » Brasil

Máfia de caça-níqueis: 50 mortes em oito anos.

20.12.2006
 
Máfia de caça-níqueis: 50 mortes em oito anos.

 A Secretaria de Segurança sabia há pelo menos dois anos que um grupo de policiais civis cobrava propinas e vendia proteção aos contraventores Rogério Andrade e Fernando Iggnácio, escreve  o jornal "O Globo" nesta terça-feira.

Segundo a Polícia Federal, esse grupo seria chefiado pelo delegado e deputado estadual eleito Álvaro Lins (PMDB). O delegado Marcelo Itagiba, então secretário de Segurança, recebeu da Subsecretaria de Inteligência (SSI) relatórios mostrando negócios e a evolução patrimonial de policiais, inclusive citando Lins, na época chefe de Polícia Civil, como cabeça do grupo. Como as investigações não andaram, um dossiê com todas as informações foi enviado à PF, dando início à Operação Gladiador, desencadeada na última sexta-feira.

Entretanto o Ministério Público Eleitoral (MPE) comunicou ontem que vai pedir a cassação do diploma do deputado estadual eleito Álvaro Lins .

As escutas telefonicas  efetuadas no âmbito do processo criminal revelam entre outras coisas que  a quadrilha de Iggnácio foi responsável por pelo menos quatro mortes e dois atentados entre setembro e outubro. O braço armado do grupo de Iggnácio é formado por policiais militares liderados pelo ex-fuzileiro naval Marcos Paulo Moreira da Silva, o Marquinhos Sem Cérebro, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

Os confrontos entre Iggnácio e seu rival Rogério Andrade já soma mais de 50 mortes em oito anos. Iggnácio está preso desde outubro na Polinter, em Niterói, e Sem Cérebro está detido no 1є Distrito Naval. O líder do grupo, em gravação autorizada pela Justiça Federal, diz que é obrigação do funcionário "zelar pelo patrimõnio da empresa", o que implicaria eliminar rivais e destruir caçaa-níqueis do inimigo.

Quando uma morte é concluнda, eles anunciam ao grupo dizendo "bingo" nas gravações. Segundo o Ministério Público Federal, Iggnácio tem "absoluto domínio final de todos esses crimes".

De acordo com informações da Polícia Federal, Iggnácio ganhava cerca de R$ 6 milhхes por mês com mais de dez mil máquinas de caça-níqueis espalhadas pela zona oeste do Rio de Janeiro. As contas bancárias da organização estгo bloqueadas pela Justiça, a pedido da PF e do Ministério Público Federal.

 


Loading. Please wait...

Fotos popular