Pravda.ru

CPLP » Brasil

O fim inglório de Joaquim Barbosa

08.04.2014
 
O fim inglório de Joaquim Barbosa. 20128.jpeg

Poucas pessoas são tão exemplares do poder corrosivo do ódio quanto Joaquim Barbosa.
Reduz a figura de um ministro do Supremo - e seu presidente! - a um mero carcereiro doentio, destes que se comprazem em provocar sofrimento.

Pior; subverte e usurpa funções autônomas do Judiciário, como faz agora, "tomando as dores" do pupilo que fez ascender à Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, afastado pelo Tribunal Distrital por ter atropelado as regras e interpelado direta - e grosseiramente - o governador, o que é legalmente atribuição do Tribunal.
Por Fernando Brito, no blog Tijolaço

Produziu um despacho que reproduz, quase que ipsis literis, o ato ilegal. Quer que o governador explique suposições que não estão mencionadas em lugar algum, a não ser em reportagens sensacionalistas e, pior ainda, se é capaz de cumprir suas funções.
Janio de Freitas, hoje, na Folha, descreve bem:


"No despacho em que acusa o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, de não investigar as denúncias contra os presos do mensalão, o ministro Joaquim Barbosa ora lhes atribui "irregularidades", como certeza consumada; ora "fatos narrados", o que nada assegura sobre fatos reais; "aparentes regalias", ou meros aspectos; e, de repente, seguro e definitivo, 'ilegalidades'."


Mas é mais grave o que se passa.
Barbosa, segundo o Estadão, "também quer saber quais medidas serão tomadas a curto prazo para a retomada do comando do sistema prisional."
O sistema prisional está desgovernado? Com que base o Dr. Joaquim faz essa afirmação?
Mesmo que tudo o que os jornais dizem, com base em informações vagas e anônimas, fosse verdade, um telefonema e um sanduíche do McDonald's, por acaso, não são sintomas de um sistema prisional "descontrolado", quando se sabe que tráfico, assassinatos e esquemas mafiosos são comandados de dentro das cadeias, sem que isso jamais tenha comovido o Dr. Joaquim.


Só uma coisa o move, aliás, o ódio.
E esse ódio o faz desrespeitar, com chicanas e pretextos, uma decisão judicial: a de que José Dirceu foi condenado a um regime semi-aberto.


Decisão que Barbosa não aceita e sobre a qual, usando seu poder de Presidente do Supremo, despeja sua "sanha reformadora" para transformar, se puder, em prisão fechada, de preferência em solitária e perpétua.


Talvez não perceba, mas acabou o tempo em que a imprensa lhe dava a cobertura necessária para ser um atrabiliário.
O poder de Joaquim Barbosa chegou ao fim.
Fonte: Blog do Miro
http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=13459


Loading. Please wait...

Fotos popular