Pravda.ru

CPLP » Brasil

Exibição de 'Solaris' encerrou a 3ª Mostra Mosfilm de Cinema Russo em São Paulo

04.12.2016
 
Exibição de 'Solaris' encerrou a 3ª Mostra Mosfilm de Cinema Russo em São Paulo. 25570.jpeg

Exibição de 'Solaris' encerrou a 3ª Mostra Mosfilm de Cinema Russo em São Paulo

Com a presença de grande público, "Solaris", de Andrei Tarkovski, encerrou a 3ª Mostra de Cinema Russo Mosfilm no domingo (27). O premiado filme de 1972 foi exibido no telão externo da Cinemateca Brasileira, em São Paulo. "Nem a garoa fina que caia durante a sessão desmobilizou os espectadores pelas quase três horas de duração da ficção científica de Tarkovsky", disse Gabriel Alves, presidente do CPC-UMES.

A 3ª edição da Mostra realizada pelo Centro Popular de Cultura da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (CPC-UMES) em parceria com o Mosfilm - o maior e mais antigo estúdio de cinema da Rússia - foi um sucesso de público. No total, dez filmes que abarcam produções de diferentes épocas e gêneros foram exibidos entre os dias 22 e 27 de novembro, trazendo a rara oportunidade de conhecer a rica cinematografia russa, com programação inteiramente gratuita.

"Estive nas três edições paulistanas da Mostra Mosfilm, organizada pelo CPC-UMES. E constato que ela está em franco crescimento. Este ano, ganhou magnífica sessão ao ar livre (com cópia tinindo de nova de Solaris), dialogou com o cinema brasileiro (pré-estreia e debate de Vermelho Russo, do brasileiro Charly Braun) e, além da barraquinha de DVDs russos e soviéticos, cujo maior destaque é o maupassaniano "Bola de Sebo", de Mikhail Romm, os amplos jardins da Cinemateca ganharam concorrida barraquinha com comidas russas  ", escreveu a crítica de cinema Maria do Rosário Caetano em sua revista eletrônica Almanakito.

Mais de 300 pessoas compareceram ao último dia de Mostra e se dividiram entre "Solaris" e a sessão de "O Conto do Czar Saltan", uma produção de 1966 de Alexandre Ptushko. Baseado no poema de Aleksandr Pushkin e imortalizado na ópera de Rimsky-Korsakov, a adaptação do mestre dos efeitos especiais soviético foi exibida em cópia restaurada que ressaltou suas cores vibrantes e a qualidade da produção.

Além de amantes do cinema, comunidade russa e críticos, a coordenadora-geral da Cinemateca, Olga Futemma, também prestigiou o último dia de sessões.

Outro destaque da programação foi a obra prima de Serguey Eisenstein "Aleksandr Nevsky", inteiramente restaurado em 2015. A exibição deste filme estava programada para acontecer na abertura da Mostra, mas por conta de problemas técnicos no equipamento de projeção DCP da Cinemateca foi apresentado de forma inédita no sábado, dia 26. A abertura, também lotada, contou com a exibição do filme "Arsenal", filme mudo de 1928 dirigido por Aleksandr Dovzhenko.

Além dos dez filmes do Mosfilm, o estreante "Vermelho Russo" (2016), do brasileiro Charly Braun, teve sessão especial na Mostra "por ter tudo a ver com o intercâmbio entre Brasil e Rússia em matéria de cinema" segundo os produtores da Mostra. A exibição foi realizada na quarta-feira (23), seguido de debate com o diretor e as atrizes Martha Nowill e Maria Manoella.

Por todos os dias de Mostra, a barraca de DVD's do CPC-UMES Filmes esteve presente na Cinemateca. Também em parceria com o Mosfilm, a entidade lançou e agora distribui aqui no Brasil 19 títulos russos.

Porto Alegre

Em Porto Alegre até a sexta-feira (02) ocorreu a 2ª Mostra de Cinema Russo Mosfilm da cidade, na Cinemateca Paulo Amorim, na Casa de Cultura Mario Quintana. As sessões dos oito filmes que integraram a programação também teve entrada gratuita.

 


Loading. Please wait...

Fotos popular