Pravda.ru

Negόcios

Banco é 'verdadeira organização criminosa'?

28.12.2010
 

No Brasil, banco do maior empresário e apresentador da história da TV é classificado como 'verdadeira organização criminosa'

Por ANTONIO CARLOS LACERDA

SÃO PULO/BRASIL - PRAVDA.RU

No Brasil, não há, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, quer seja milionário, rico, pobre ou miserável, quem não conheça o empresário e apresentador de TV Silvio Santos que, apresar dos seus 80 anos de idade, dificilmente será superado em popularidade em toda a história do país, nem mesmo pelo fanfarrão e gabola presidente Lula, com seus programas sociais de veemente e contundente apelo popular, é mais conhecido e amado que Silvio Santos.

Silvio Santos, cujo nome verdadeiro é Senor Abravanel, é descendente de Isaac Abravanel, um estadista judeu português, filósofo, financista e comentarista da Bíblia. Ele é filho de pai grego e mãe turca e nasceu no boêmio bairro da Lapa, região central do Rio de Janeiro, em 12 de dezembro de 1930.

Silvio Santos é dono de uma holding, o Grupo Silvio Santos, formada por 37 empresas, que completou em 2008, 50 anos de atuação com cerca de onze mil funcionários, incluindo entre as mais conhecidas, o Baú da Felicidade, o banco PanAmericano, a rede de lojas do Baú, a Liderança Capitalização (que opera a Tele-Sena), o Hotel Jequitimar, a Jequiti cosméticos e empreendimentos agropecuários e imobiliários como a Sisan.

Em 8 de novembro de 2010, o Grupo Silvio Santos entra em crise financeira por conta de um rombo de R$ 2,5 Bilhões ocorrido no Banco PanAmericano, também pertencente ao grupo. O prejuízo dado pelo banco soma uma quantia próxima a R$ 2,5 bilhões, o que provocou a necessidade de empréstimo junto ao Fundo Garantidor de Crédito para recuperar o banco.

Em razão desse empréstimo, o Grupo Silvio Santos colocou como garantia para pagamento do empréstimo as empresas do grupo, incluindo o SBT,a Jequiti Cosméticos e o Baú da Felicidade, agravando a crise em que a emissora entrou a partir de 2007, quando perdeu a vice-liderança para a Rede Record.

O prazo para pagamento desse empréstimo de R$ 2,5 Bilhões é de 10 anos w, para honrar o compromisso, com o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), Silvio Santos estaria até disposto a vender o controle do banco.

O caso do PanAmericano virou assunto policial por conta de uma fraude contábil da ordem de R$ 2,5 Bilhões detectada no banco por técnicos do Banco Central.

Segundo publicou o jornal O Estado de São Paulo, em relatório enviado à Justiça, a Polícia Federal classifica a cúpula do PanAmericano como "verdadeira organização criminosa voltada para a prática de crimes contra o sistema financeiro nacional", e diz que a polícia sustenta que os dirigentes do banco teriam "participado ativamente da arquitetura, execução e posterior compartilhamento do montante obtido ilicitamente com a fraude".

O jornal diz, também, que, segundo a Polícia Federal, fraudes em operações do PanAmericano não foram detectadas pelos dirigentes que tinham essa atribuição porque a intenção seria "desviar dinheiro, lesar o sistema financeiro nacional e acobertar o esquema delituoso".

A polícia avalia que a destituição, em 9 de novembro deste ano, de sete diretores do banco reforça os indícios de que estariam envolvidos em fatos ilícitos. Ata da reunião do Conselho de Administração do Panamericano registrada naquele dia anuncia o afastamento dos executivos.

A polícia estaria investigando violação aos artigos 4.º, 6.º e 10.º da Lei 7492/86 (crimes contra o sistema financeiro) - gestão temerária, indução de investidor em erro, inserção de elemento falso em demonstrativos contábeis, gestão fraudulenta, além de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.

Os dirigentes do PanAmericano estão sob suspeita de assumirem "inconsistências contábeis no valor aproximado de R$ 2,5 bilhões, as quais seriam resultado de divergências entre as demonstrações financeiras e a real situação patrimonial da entidade".

Para a polícia, fatos identificados pelo Banco Central não poderiam ter resultado de falhas nos mecanismos de controle implementados justamente "para detectar eventuais inconsistências contábeis".

A policia teria apontado "práticas ilícitas que permitiram a criação de ativos inexistentes e dado causa à publicação de demonstrações contábeis que não traduziam a real situação econômico-financeira do banco", e, amparada na análise de procedimento administrativo do Banco Central, a polícia fala sobre a "existência de insuficiência patrimonial da PanAmericano Administradora de Cartões de Crédito Ltda".

A polícia teria destacado, também, "indícios de crime contra o sistema financeiro e a relevância dos valores envolvidos, os quais representam 130,6% do patrimônio líquido da instituição".

O relatório da polícia teria dado sustentação à decisão judicial para buscas e apreensões em endereços residenciais e comerciais de oito executivos da instituição, realizada na última quinta-feira, 16/12/2010.

A polícia diz que o Banco Central, por meio do Sistema de Informações de Créditos (SCR), verificou que os contratos apresentaram a situação de "cedidos" em um determinado mês e, posteriormente, no mesmo mês ou no seguinte, figuravam como "em carteira", sem que houvesse registro de sua recompra.

"O PanAmericano, ao ceder créditos, informou que o valor destes correspondia a R$ 1,608 bilhão", aponta a polícia, que diz: "Por sua vez, as instituições financeiras cessionárias que adquiriram os créditos do PanAmericano comunicaram que o valor desses correspondia a R$ 5, 59 bilhões. Portanto, os créditos, em que pese cedidos para outras instituições, figuravam também como ativos da companhia investigada."

Na mesma linha de investigação, o Ministério Público Federal teria dito que "conquanto as fraudes contábeis fossem realizadas nas demonstrações, o Banco PanAmericano continuava a satisfazer suas obrigações com as instituições financeiras que compravam suas carteiras de crédito".

"Vale dizer, apesar de falsas as demonstrações contábeis, era necessário que o PanAmericano mantivesse o controle sobre a situação real da própria instituição, não existindo dúvida de que os funcionários referidos tinham que ter conhecimento da fraude perpetrada."

Dizer que o escândalo do PanAmericano não arranhou a imagem pública de Silvio Santos não seria verdade. Hoje, com 80 anos de idade, Silvio Santos conseguiu se manter acima da crise e do escândalo envolvendo sua holding e, certamente, deixará seu nome na história televisiva do Brasil e do mundo como um dos apresentadores de TV mais carismático e popular do planeta.

AILVIO SANTOS OU SENOR ABRAVANEL?

Se acaso alguém perguntar aos 180 milhões de brasileiros quem conhece o Senor Abravanel, estima-se que apenas 0,1 % saberá quem ele é. Entretanto, se perguntar aos mesmos 180 milhões de brasileiros quem é Silvio Santos, 100% saberá que ele é.

Como apresentador do 'Programa Silvio Santos', o programa mais antigo da televisão brasileira, Silvio Santos tornou-se o mais consagrado e querido ícone da televisão e do público brasileiro, sendo considerado o maior empreendedor e comunicador da história da televisão no país.

Aos 14 anos já era camelô, junto com o irmão Leon e um sobrinho de Adolpho Bloch. O primeiro tipo de produto que começou a vender foi capa para título de eleitor, pois o Brasil entrava numa fase de redemocratização após a ditadura do Estado Novo de Getulio Vargas.

Um fiscal de posturas da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, percebendo o potencial de voz de Silvio, o convidou a fazer um teste na Rádio Guanabara, atual Rádio Bandeirantes do Rio de Janeiro.

Silvio conquistou o primeiro lugar no teste da rádio, ganhando de nomes como Chico Anysio e José Vasconcelos, mas se manteve apenas 1 mês como radialista pois como ambulante ganhava mais.

Aos 18 anos prestou o Serviço Militar no Exército Brasileiro como paraquedista. Sabendo que a carreira de camelô era incompatível com a de militar, Silvio decidiu ser locutor de uma rádio em Niterói.

Percebendo que as viagens das barcas Rio-Niterói eram marcadas pela monotonia, decidiu montar um serviço de alto-falantes nas embarcações. Nos intervalos das músicas, Silvio fazia anúncios de produtos.

Nas barcas para a Ilha de Paquetá, os passageiros faziam filas nos bebedouros d'água após dançarem as músicas tocadas por Silvio, que teve, então, outra id[eia: fez um acordo com a cervejaria Antártica para vender cerveja e refrigerantes. Na compra, o consumidor ganhava uma cartela de bingo e concorria a prêmios como jarras e quadros.

A carreira de Silvio Santos em São Paulo começava se desenhar após um acidente com a barca aonde atuava. Com a embarcação no estaleiro, Silvio ficou sem poder exercer sua função. E o diretor da Antártica o convidou a passar um tempo na 'Terra da Garoa'.

Em São Paulo, Silvio começou a trabalhar em bares, apresentando espetáculos e sorteios em caravanas de artistas. Como tinha um tom de pele muito claro, ficava vermelho com facilidade. Por falar bastante, começou a ser apelidado "peru que fala". As caravanas do Peru falante ficaram conhecidas na capital de São Paulo, em cidades do interior e em outros estados.

Logo passou à televisão, adaptando o formato dos shows, espetáculos e sorteios que fazia no circo. Seu primeiro programa, 'Vamos Brincar de Forca', estreou em 1962 e era transmitido pela TV Paulista, à noite, com um grande sucesso de audiência. Em 1964, passou a comandar seu programa aos domingos, das 12 às 14h. No decorrer dos anos, o formato seria expandido e aprimorado no 'Programa Silvio Santos'.

Paralelamente, Silvio partiu para novos empreendimentos. Adquiriu de seu amigo Manuel da Nóbrega o Baú da Felicidade, empresa que vendia baús de presentes de Natal para crianças mediante pagamento em prestações. Depois de reformas no plano de negócios, a empresa ficou conhecida pela venda de carnês e sorteios.

Quando a TV Paulista foi incorporada à Rede Globo, Silvio seguiu pagando aluguel pelo seu horário dominical, revendendo o tempo dos anúncios a outras empresas. Na medida em que aumentava o sucesso do 'Programa Silvio Santos', Silvio tinha ótimos resultados financeiros, realizando sorteios de carros, móveis e eletrodomésticos, o que motivou a expansão dos negócios do grupo (Móveis Tamakavy, concessionária de veículos Vimave).

Porém, no início dos anos 1970, diretores da Rede Globo promoveram reformas no padrão de qualidade da emissora, investindo em filmes, esporte, jornalismo e novelas, e acabando com os programas independentes. Para ele, o Programa de Silvio Santos destoava da grade de programação.

O apresentador quase saiu da emissora em 1972, mas o próprio Roberto Marinho, dono da TV Globo, o convenceu a ficar, renovando contrato por mais quatro anos. Por este contrato, Silvio não poderia ser acionista ou dono de nenhuma outra emissora de televisão, o que motivou sua saída da Globo.

Dessa forma, a partir de 1976, Silvio começou a fazer programas na Rede Tupi (ao contrário do que muitos pensam, a Tupi nunca vendeu horários), assegurando a transmissão nacional de seu programa, ao mesmo tempo que lutava politicamente para obter seus próprios canais de televisão.

No dia 22 de outubro de 1975, o presidente Ernesto Geisel assinou o decreto 76.488, outorgando a Silvio Santos o canal 11 do Rio de Janeiro. Silvio passou a transmitir seus programas simultaneamente na Tupi e na TVS (TV Studios).

Depois da falência da Rede Tupi, em 1980, o 'Programa Silvio Santos' em São Paulo foi transferido para a Rede Record. Durante a década de 1980, Silvio chegou a ser dono de 50% da emissora do empresário Paulo Machado de Carvalho. Todavia, Silvio planejava ter uma rede nacional de televisão, produzir uma programação completa e usar o canal para seus sorteios e promoções.

Em 1981, através da amizade com a primeira-dama do Brasil, Dulce Figueiredo, com quem tinha longas conversas por telefone, Silvio Santos obteve a licença para operar o canal 4 de São Paulo, que se tornou a TVS da capital paulista. A partir das emissoras do Rio e de São Paulo, surgiu o embrião do SBT.

A rede se expandiu rapidamente através de afiliações, mas o Programa Silvio Santos continuava sendo transmitido simultaneamente pela Record, especialmente para alcançar o interior de São Paulo. A marca SBT passou a ser usada em toda a rede no final da década de 1980

Em 1988 Silvio Santos propôs sua candidatura a prefeito de São Paulo. O anúncio foi feito durante um dos quadros do 'Programa Silvio Santos', com o episódio amplamente divulgado pela imprensa, mas a candidatura não se concretizou.

Em novembro de 1989, Silvio Santos tentou ser candidato a presidente do Brasil pelo pequeno Partido Municipalista Brasileiro. Também se cogitou a renúncia do candidato Aureliano Chaves, do PFL, um partido maior e mais poderoso, para que Silvio o substituísse.

Silvio chegou a fazer algumas gravações para a propaganda eleitoral, pedindo votos para o número 26, do PMB, com insistência, pois não haveria tempo para mudar o nome impresso nas cédulas de votação.

A alguns dias da eleição, Silvio Santos teve seu registro de candidatura a presidente impugnado pelo Tribunal Superior Eleitoral, por irregularidades no registro do PMB.

Então, Silvio filiou-se ao PFL e ensaiou participar de outras eleições, mas as brigas entre grupos políticos e os acordos e negociações inerentes à política fizeram Silvio continuar cuidando exclusivamente de seus negócios.

Em 1990, Silvio Santos e Paulo Machado de Carvalho vendem a Rede Record para Edir Macedo, dono da Igreja Universal do Reino de Deus. Neste momento, Silvio já tem o SBT consolidado nacionalmente, o que tornava desnecessária a retransmissão do Programa Silvio Santos pela Record.

Segundo se conta, Silvio não queria vender a sua parte da Record, mas foi convencido a isto depois de uma conversa telefônica com o presidente Fernando Collor de Mello. Contudo, o canal 9 do Rio de Janeiro, antiga Record, continua sob seu comando com o nome de TV Corcovado até ser vendido para o Grupo Martinez.

O 'Programa Silvio Santos', ao longo dos anos, tornou-se um agrupamento de vários programas de auditório e quadros, somando quase cem atrações diferentes.

Os programas sempre tiveram a participação do auditório, cujas participantes são chamadas de "colegas de trabalho". O auditório é considerado por Silvio "o mais feminino do Brasil", pois nos primeiros anos do programa a entrada de homens na platéia não era permitida.

Silvio acreditava que os namorados das "colegas de trabalho" poderiam ficar com ciúmes de cantores e artistas homens admirados pelas namoradas. Com o tempo, este costume foi sendo ligeiramente relaxado, principalmente nos programas envolvendo sorteios e perguntas e respostas.

Ao longo dos anos, o 'Programa Silvio Santos' e a programação da TVS e do SBT acumularam uma reputação de popularescos e alienantes, situação agravada pelo fato de Silvio ter conquistado suas concessões de televisão durante a ditadura militar e transmitir desde o governo Figueiredo o oficialista 'A Semana do Presidente'.

A partir de 1988, Silvio Santos revelou preocupação com os rumos do Brasil e pôs em prática várias ações para incluir conteúdo socialmente edificante na programação do SBT. A manobra surpreendeu alguns críticos e intelectuais.

Desde os anos 1990 Silvio tem estimulado o Teleton, programa de televisão de 24 horas, transmitido uma vez por ano, para arrecadar fundos para a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD).

O SBT cede gratuitamente seus artistas, empregados e recursos materiais para o projeto. Silvio também produziu um Show do Milhão especial com políticos, no qual os prêmios seriam destinados a instituições de caridade.

Silvio Santos foi homenageado em fevereiro de 2001 pela escola de samba carioca Tradição através do enredo 'Hoje É Domingo, É Alegria. Vamos Sorrir e Cantar!'. Ele desfilou como destaque num carro alegórico num traje todo prateado. Outros artistas do SBT participaram do desfile.

Em 21 de agosto de 2001, a filha de Silvio Santos, Patrícia Abravanel, foi sequestrada na porta da própria casa, em São Paulo. Depois de alguns dias de negociação, o resgate foi pago e Patrícia libertada. O sequestrador Fernando Dutra Pinto estava sendo perseguido pela polícia e, sem ter para onde ir, acabou invadindo a casa de Silvio Santos, que  estava na sala de ginástica.

O sequestrador manteve Silvio e toda sua família como reféns. Silvio convenceu o sequestrador a libertar as outras pessoas da família e seguiu em cativeiro em sua própria casa durante sete horas. O seqüestrador só se entregou com a chegada do governador Geraldo Alckmin, que garantiu a integridade física do criminoso.

Alguns meses depois de preso, no dia 2 de janeiro, Fernando morreu em consequência de uma infecção generalizada causada por um corte profundo nas costas. Há indícios de que a morte do detento tenha sido causada por maus tratos e negligência médica.

O caso do seqüestro mudou a rotina de Silvio Santos, que por sua própria popularidade pensava que dificilmente seria sequestrado.

O Grupo Silvio Santos é formado por 37 empresas, que completou em 2008, 50 anos de atuação com cerca de onze mil funcionários, incluindo entre as mais conhecidas, o Baú da Felicidade, o banco Panamericano, a rede de lojas do Baú, a Liderança Capitalização (que opera a Tele-Sena), o Hotel Jequitimar, a Jequiti cosméticos e empreendimentos agropecuários e imobiliários como a Sisan.

O Banco Panamericano recebeu propostas de compra em 2004 e 2005 por grupos financeiros do Brasil e do exterior, mas Silvio Santos não abriu mão do negócio.

Silvio Santos foi casado com Cidinha, que morreu de câncer na década de 1970, com quem teve duas filhas: Cíntia e Silvia. Desde então, Silvio vive com Íris, esposa de seu segundo casamento, realizado no final da década de 1970 e suas filhas deste casamento: Daniela, Patrícia, Rebeca, Renata Abravanel.

Íris Abravanel é uma empresária brasileira, dona da empresa Sister's in Law. Silvio tem tido uma relação tumultuada nos últimos anos com a esposa e as filhas, que se tornaram protestantes. Silvio, de origem judaica, chegou a se separar por breves períodos, quando morou em uma casa que tem nas proximidades do Ibirapuera.

Em 2006, durante as comemorações dos 25 anos do SBT, Silvio afirmou oficialmente estar preparando sua filha Patrícia Abravanel para sucedê-lo nos negócios da família.

Na noite do último dia 12, dia de seu aniversário de 80 anos, seu programa de TV foi "interrompido" e colocado ao ar um especial feito por funcionários, suas filhas e amigos, em homenagem ao seu aniversário. Desde 2008, sua filha Daniela está no comando da emissora.

ANTONIO CARLOS LACERDA é Correspondente Internacional do PRAVDA.RU no Brasil. E-mail:- jornalistadobrasil@hotmail.com

 


Loading. Please wait...

Fotos popular