Pravda.ru

Negόcios

O Brexit ainda está em espera

28.10.2019
 
O Brexit ainda está em espera. 32003.jpeg

O Brexit ainda está em espera

 Por Nestor Marin Londres, 24 de outubro (Prensa Latina) A saída do Reino Unido da União Europeia (UE) continua hoje no limbo, enquanto se aguarda a decisão do bloco sobre o adiamento solicitado pelo primeiro-ministro britânico Boris Johnson.


Em teoria, e se Johnson dependesse, o Brexit deveria ser finalizado em 31 de outubro, mas o governante foi forçado a solicitar a prorrogação depois que a Câmara dos Comuns se recusou no sábado passado a endossar o novo tratado de retirada negociado com o UE.


Nesta segunda-feira, o executivo voltou a apresentar o acordo perante a Câmara dos Deputados e, finalmente, conseguiu o apoio desejado, mas a vitória foi pelo menos retórica, porque a maioria dos deputados se opôs a processar a legislação com caráter urgente. que o primeiro ministro exigiu.


Enquanto isso acontecia, os governantes europeus estariam dispostos a adiar o divórcio novamente, mas diferem na duração do adiamento.


Por um lado, a chanceler federal alemã Angela Merkel prefere deixá-lo para 31 de janeiro, enquanto o presidente francês Emmanuel Macron gostaria de virar a página do Brexit o mais rápido possível.


De qualquer forma, a decisão da UE será conhecida amanhã, sexta-feira ou mais tarde neste fim de semana.


Enquanto isso, Johnson ainda insiste que o Reino Unido deixará o bloco europeu na noite de Halloween, com ou sem acordo, e até ameaça avançar nas eleições antes do Natal se os líderes europeus optarem por adiar a saída até próximo janeiro


A governadora conservadora, que em julho passado aliviou a renúncia de Theresa May com a promessa de encerrar o pesadelo do Brexit em 31 de outubro, deve se reunir na quinta-feira com seu gabinete para discutir a estratégia a seguir.


Fontes do governo citadas pela imprensa local dizem que o principal assessor de Johnson, o polêmico Dominic Cummings, está aconselhando os ministros a descartar a idéia de reenviar o acordo ao parlamento e optar por um avanço nas eleições gerais.


A reportagem da BBC observa, no entanto, que outros membros do governo, como o ministro da província britânica da Irlanda do Norte, Julian Smith, prefeririam Johnson tentar novamente obter apoio parlamentar para seu plano de aposentadoria. a UE.


O Partido Conservador, que perdeu a maioria na Câmara dos Comuns como resultado da divisão política causada pelo Brexit, precisa do apoio de dois terços (434 dos 650 membros) para avançar nas eleições.


A oposição, liderada pelo Partido Trabalhista, já alertou que a opção de ir às urnas antes da data prevista (maio de 2022) só será levada em consideração depois que um divórcio em más relações com a UE for descartado.


O líder trabalhista Jeremy Corbyn chegou a sugerir que sua organização pudesse dar sinal verde ao acordo de saída negociado por Johnson, com a condição de ser submetido a um novo referendo, no qual o eleitorado também teria a oportunidade de votar a favor de Fique dentro do quarteirão.


O Reino Unido teve que deixar a aliança em 31 de março, depois que 51,9% dos britânicos votaram a favor da quebra no referendo de 2016.


As repetidas recusas do parlamento em apoiar o tratado de retirada assinado pela então primeira-ministra Theresa May, que por sua vez havia aliviado a renúncia David Cameron, obrigaram a adiar a partida primeiro em abril e depois no último dia de outubro.


A única coisa certa é que, em três anos, dois primeiros-ministros desfavorecidos e centenas de horas de debates amargos depois, o Brexit permanece no limbo.


mgt/nm/jcfl

https://www.prensalatina.com.br/index.php?o=rn&id=26833&SEO=o-brexit-ainda-esta-em-espera 


Fotos popular