Pravda.ru

Negόcios

Brasil: Soja bate novo recorde de produção

23.07.2007
 
Pages: 123
Brasil: Soja bate novo recorde de produção

A safra de soja quebrou o recorde em 2006, com 52.464.640 toneladas colhidas, 1.282.566 t a mais (2,5%) do que em 2005 e 1% a mais do que a safra de 2003 (51.919.440 t), a maior até então. Ainda assim, a área colhida foi 3,9% menor e houve queda de 15,1% no valor da produção no ano passado.

Produção Agrícola Municipal - Cereais, Leguminosas e Oleaginosas – Fonte IBGE

A safra de soja quebrou o recorde em 2006, com 52.464.640 toneladas colhidas, 1.282.566 t a mais (2,5%) do que em 2005 e 1% a mais do que a safra de 2003 (51.919.440 t), a maior até então. Ainda assim, a área colhida foi 3,9% menor e houve queda de 15,1% no valor da produção no ano passado.

É o que mostra a Pesquisa Agrícola Municipal – Cereais, Leguminosas e Oleaginosas (PAM-CLO). Em 2006, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas – conhecidos como grãos - foi de 117,3 milhões de toneladas, 4,1% superior à de 2005. Paraná (19,8%), Mato Grosso (18,9%), e Rio Grande do Sul (17%) foram os grandes responsáveis pelo crescimento, puxado pela soja e pelo milho, que representaram 44,3% e 36,1% da safra, respectivamente. Em 2006, a área plantada dos grãos teve redução de 5,2% (2,5 milhões de hectares) em relação a 2005. O valor da produção caiu 15,1% (R$ 7,3 bilhões, em termos nominais). Na comparação com 2004, a queda chega a mais de R$ 22 bilhões (35,4%).

Das culturas que apresentaram ganhos de produção em 2006, a soja foi o grande destaque, quebrando um novo recorde nacional, com safra de 52.464.640 toneladas, 2,5% superior à de 2005. O índice positivo não impediu, no entanto, que o grão sofresse redução de 3,9% da área colhida e que seu valor de produção caísse 15,1%. O segundo lugar no ranking dos grãos coube ao milho, que registrou um aumento de 21,5% na produção, recuperando-se dos efeitos das estiagens que afetaram a região Sul. Soja e milho foram responsáveis, respectivamente, por 44,3% e 36,1% do total de grãos produzidos no país, conforme mostra o gráfico a seguir.

A falta de chuvas regulares contribuiu para uma redução de 5,2% na área plantada de grãos no país em 2006. O resultado representou 2,5 milhões de hectares a menos e interrompeu uma seqüência de crescimento que se mantinha desde 2001. Também houve diminuição de 15,1% no valor da produção frente a 2005, equivalente a R$ 7,3 bilhões em termos nominais. Comparada a 2004, essa queda chega a mais de R$ 22 bilhões (-35,4%). O trigo e o arroz foram os produtos com as maiores reduções de produção: respectivamente 2.193.854 e 1.668.429 toneladas a menos. Elas devem-se principalmente à menor área plantada pelos agricultores, desestimulados pelos baixos preços desses produtos no mercado.

Paraná volta ao topo do ranking e produz 19,8% dos grãos do país

O Paraná liderou em 2006 a produção de grãos, concentrando 19,8% da safra do país. Foi seguido de perto por Mato Grosso (18,9%) e Rio Grande do Sul (17%), que se recuperou, após ter sido atingido por severa estiagem em 2005.

O Paraná é o maior produtor de feijão, milho, trigo, triticale, aveia e cevada e o segundo maior de soja. A diversidade de produtos permite que, em caso de danos a alguma cultura, outra possa compensar o prejuízo, diminuindo os impactos na economia do estado. Além do clima, a utilização de tecnologias, como o plantio direto e a rotação de culturas, favorece essa variedade de produção, proporcionando o plantio de lavouras de verão e de inverno em uma mesma área.

Em Mato Grosso, a soja respondeu por cerca de 70% da produção. O estado também é o maior produtor de algodão herbáceo do país. Em 2005, o Mato Grosso havia ultrapassado o Paraná, vítima das estiagens. Em 2006, além da recuperação do Paraná, as produções de soja e algodão herbáceo de Mato Grosso apresentaram reduções de -12,2% e -14,6%, respectivamente.

São Desidério (BA) assume liderança no valor da produção; Sorriso (MT) é o maior produtor em volume

Os principais municípios produtores de grãos reduziram o valor de sua produção em 2006. No topo do ranking para esse indicador, figurou São Desidério (BA), que, apesar das quedas de 17,6% no volume de produção e de 16,8% no valor da safra, superou Sapezal e Campo Verde, ambos de Mato Grosso, que tiveram reduções ainda maiores, devido à menor produção e aos preços mais baixos de seus principais produtos: soja, milho e algodão herbáceo. A queda do dólar nos últimos anos diminuiu a margem de lucro dos produtores, principalmente os da região Centro-Oeste, que pagam um frete maior para exportar seus produtos.

O município de Sorriso (MT) foi o maior produtor nacional de grãos em 2006, com 2.238.315 toneladas, um aumento de 9,6% frente a 2005. Mesmo assim, o valor da produção do município sofreu um decréscimo de 23,5%, acompanhando tendência do restante do estado.

Soja tem aumento de 6,7% na produtividade

Em 2006, foi alcançado um novo recorde de produção de soja no país. Foram colhidas 52.464.640 t, que superaram em 1% o recorde anterior, de 51.919.440 t colhidas em 2003. A área plantada somou 22.082.666 ha, 5,7% menor que a de 2005; por sua vez, o rendimento médio foi de 2.380 kg/ha, 6,7% maior que o registrado em 2005, ano em que a sojicultura do Rio Grande do Sul foi bastante afetada pela estiagem, tendo o menor rendimento médio de todos os tempos (654 kg/ha).

Pages: 123

Loading. Please wait...

Fotos popular