Pravda.ru

Negόcios

Cuba defende na FAO mudança em sistema alimentar mundial

21.06.2013
 
Cuba defende na FAO mudança em sistema alimentar mundial. 18394.jpeg

Roma, (Prensa Latina) Cuba afirmou nesta quarta (19) que fazer frente à insegurança alimentar requer, além de uma forte vontade política, um enfoque sistêmico e multissetorial que implique mudanças nos sistemas alimentários, de saúde e educação mundiais. 


A embaixadora de Cuba na Itália e nos Organismos Internacionais com sede em Roma, Milagres Carina Soto, defendeu na Cúpula da FAO pela aplicação de políticas de inclusão social que garantam, por igual, o acesso aos recursos, o melhoramento das dietas e a nutrição.


Até hoje só podemos falar de modestos avanços pois os que padecem e morrem por fome, os que sofrem as consequências dadesnutrição, representam ainda cifras alarmantes e dolorosas para quem aspiramos a um mundo melhor e mais justo, declarou.


Soto manifestou que a nação caribenha se sente honrada ao ter recebido o reconhecimento da Organização de Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) pelos resultados atingidos em matéria de segurança alimentar.


Nossos indicadores,afirmou, são o fruto do enfoque sistêmico que o governo cubano aplicou desde o triunfo revolucionário de 1959, com políticas que garantem igualdade de oportunidades e o acesso gratuito e universal à saúde e a educação.


A diplomata afirmou que esses resultados se conseguiram apesar do obsoleto e criminoso bloqueio econômico, financeiro e comercial que Estados Unidos lhe impõe à ilha há mais de cinco décadas.


Durante estes anos, a experiência adquirida pela Maior das Antilhas pô-la modestamente a disposição de outros países, potencializando a cooperação Sul-Sul, apontou.


Também destacou que em sua condição de presidente interino da Comunidade de Estados Latinoamericanos e Caribeños (Celac), Cuba faz patente o compromisso desta comunidade na luta contra a fome e a desnutrição, bem como o apoio à iniciativa América Latina e Caribe Sem Fome 2025.


A embaixadora destacou a total vigência das palavras do líder histórico da Revolução cubana na Cimeira Mundial da Alimentação em 1996 quando disse: "Os sinos que dobram hoje pelos que morrem de fome a cada dia, dobrarão manhã pela humanidade inteira se não quis, não soube ou não pôde ser suficientemente sábia para se salvar a si mesma."


Em declarações à Prensa Latina, Soto ponderou que para combater a fome também é necessária o compromisso que devessem ter os países desenvolvidos, aqueles que se enriqueceram muitas vezes a costa das riquezas naturais de outros, para apoiar às nações em via de desenvolvimento.


Se o dinheiro que se gasta em armas e em publicidade banal, fora investido no desenvolvimento de nossos países, para valer estaríamos muito próximo de um mundo melhor, sentenciou.
http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=3653cce234494bfbd33e077f4a028f66&cod=11764


Loading. Please wait...

Fotos popular