Pravda.ru

Negόcios

Etiqueta indicará veículos mais econômicos e eficientes

21.04.2009
 
Etiqueta indicará veículos mais econômicos e eficientes

O consumidor tem um novo aliado na hora da compra de um veículo: a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), que apresenta informações sobre o desempenho do automóvel em relação ao consumo de combustível na cidade e na estrada.

Os primeiros veículos que circularão com a etiqueta, que é semelhante àquelas utilizadas em eletrodomésticos, foram apresentados nesta sexta-feira (17), em São Paulo, pela Petrobras e pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), que coordena o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBE Veicular).

A etiqueta informará a eficiência energética dos veículos, facilitando a escolha entre modelos mais econômicos e eficientes. Os carros serão classificados de A a E, sendo A o mais econômico. A adesão de montadoras e importadoras ao programa é voluntária. A etiquetagem veicular incluirá o Brasil na lista dos países que desenvolvem programas de eficiência energética e de uso racional de combustível em veículos, como Estados Unidos, Japão, Austrália, China, Canadá, Cingapura e países da União Européia. O Brasil entra, assim, na vanguarda deste tipo de programa na América Latina.

O evento de hoje (17/04), realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), teve as presenças de Hamilton Moss de Souza, diretor de Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia; Ivo Bucaresky, chefe de gabinete do Ministério de Meio Ambiente; João Jornada, presidente do Inmetro e representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Paulo Skaf, presidente da Fiesp; Mozart Schmitt de Queiroz, gerente executivo de Desenvolvimento Energético da área de Gás e Energia da Petrobras e secretário executivo adjunto do Programa Nacional da Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural (Conpet); Henry Joseph Junior, representante da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e presidente da Comissão de Energia e Meio Ambiente da Volkswagen; Edson Kiohara, representante da Associação Brasileira de Empresas Importadoras de Veículos Automotivos (Abeiva) e diretor de pós-venda da Chrysler; e Carlos Cavalcanti, diretor de Energia do Departamento de Infraestrutura da Fiesp.

O gerente executivo de Desenvolvimento Energético da área de Gás e Energia da Petrobras, Mozart Schmitt de Queiroz, afirmou que os consumidores e o planeta são os maiores beneficiários do programa: "Veículos mais econômicos resultam em menos emissões, mais saúde e redução de custos para os consumidores. Além disso, o programa reforça o compromisso da Petrobras com a responsabilidade social e ambiental e nossa preocupação com a economia do país, a saúde e sustentabilidade do planeta."

O presidente do Inmetro, João Jornada, acrescentou que o cidadão de hoje tem um nível de consciência muito alto e é um tomador de decisão que busca, cada vez mais, informações confiáveis. "Este programa de etiquetagem baseia-se justamente em pesquisas, normas e aspectos técnicos segundo um padrão internacional de confiabilidade", disse.

O chefe de gabinete do Ministério do Meio Ambiente, Ivo Bucaresky, também destacou que o programa está diretamente relacionado a uma política de conscientização do cidadão, visando à melhoria do meio ambiente: "Nós esperamos que o programa estimule a criação de novos mecanismos para a diminuição da emissão de poluentes."

Cinco montadoras já aderiram

Cinco fabricantes de veículos que representam cerca de 50% das vendas do mercado brasileiro (Fiat, General Motors com a marca Chevrolet, Honda, Kia e Volkswagen) foram os primeiros a se inscreverem no programa. Este ano, 31 modelos de cinco categorias (sub-compacto, compacto, médio, grande e carga) terão suas informações de consumo e eficiência energética disponíveis para a sociedade. Destes, 24 modelos de duas categorias – compacto e sub-compacto - poderão sair das fábricas etiquetados.

A adesão dos fabricantes e importadores ao programa é renovável a cada ano. Ao decidir participar, a montadora deverá informar os dados do consumo de combustível e da eficiência energética dos modelos no manual do proprietário do veículo e nos pontos de venda. Essas informações poderão ser consultadas na etiqueta, afixada opcionalmente pelos fabricantes nos vidros dos carros a partir de hoje. Os dados também estarão disponíveis na tabela publicada nos sítios do Inmetro ( www.inmetro.gov.br ) e do Conpet ( www.conpet.gov.br ).

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República


Loading. Please wait...

Fotos popular