Pravda.ru

Negόcios

Brasil: Boas novidades para o comércio

17.04.2010
 
Pages: 12
Brasil: Boas novidades para o comércio

Pesquisa Mensal de Comércio – Fonte IBGE Base: Fevereiro de 2010

Em fevereiro, vendas do varejo crescem 1,6% e receita nominal 2,2%

Ambas as taxas foram em relação a janeiro, na série com ajuste sazonal. O resultado positivo pelo segundo mês consecutivo expressa um crescimento mais consistente no ritmo de vendas. Na comparação com fevereiro de 2009, o volume de vendas e a receita nominal do varejo cresceram 12,3% e 15,3%, respectivamente. No primeiro bimestre, esses indicadores registraram elevação de 11,3% e 13,9%. Nos últimos doze meses, volume e receita acumularam crescimentos de 6,0% e 10,5%.

Quanto ao Comércio Varejista Ampliado, na passagem de janeiro para fevereiro, houve crescimento de 2,1% para volume de vendas e 2,5% para a receita nominal. Comparado com o mesmo mês do ano anterior (sem ajuste sazonal), as variações foram de 13,6% para o volume de vendas e de 15,7% para a receita nominal. No bimestre, os resultados foram 19,7% para o volume e de 13,6% para a receita. No acumulado dos últimos 12 meses, o setor apresentou taxas de variação de 8,3% e 9,0% para o volume e para a receita nominal de vendas, respectivamente.

Nesse segundo mês do ano, oito das dez atividades pesquisadas obtiveram resultados positivos para o volume de vendas com ajuste sazonal (indicador mês/mês). Em ordem de magnitude das taxas, os resultados foram os seguintes: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (3,9%); Tecidos, vestuário e calçados (3,4%); Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,0%); Material de construção (2,8%); Veículos e motos, partes e peças (2,5%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,6%); Móveis e eletrodomésticos (1,2%); Combustíveis e lubrificantes (1,0%); Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-0,8%); e Livros, jornais, revistas e papelaria (-2,2%).

Já na relação fevereiro10/fevereiro09 (série sem ajuste), todas as atividades do varejo obtiveram resultados positivos no volume de vendas, por ordem de importância no resultado global: 11,5% para Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo ; 22,2% para Móveis e eletrodomésticos ; 15,5% para Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos ; 11,8% para Tecidos, vestuário e calçados; 4,8% para Combustíveis e lubrificantes ; 5,1% em Outros artigos de uso pessoal e doméstico ; 18,8% para Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação ; e 10,7% para Livros, jornais, revistas e papelaria.

RESULTADOS SETORIAIS

O segmento de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com variação de 11,5% no volume de vendas em fevereiro sobre igual mês do ano anterior, foi responsável pela principal contribuição (47,8%) da taxa global do varejo. Em termos de acumulado nos últimos 12 meses, a atividade apresenta crescimento de 9,1%. Este desempenho foi motivado pelo aumento do poder de compra da população, decorrente do aumento da massa real efetivo dos assalariados (6,3% sobre fevereiro de 2009, segundo a PME). Também contribuiu para o crescimento da atividade, a estabilidade dos preços dos alimentos nos últimos meses (2,7% no Grupo Alimentação no Domicílio, nos últimos doze meses, contra 4,8% do Índice Geral, segundo o IPCA.).

A atividade de Móveis e eletrodomésticos , com variação de 22,2% no volume de vendas em relação a fevereiro do ano passado, registrou o segundo maior impacto na formação da taxa do varejo (27,4%). Esse resultado deve ser atribuído ainda à redução de IPI da linha branca, como também à oferta de crédito que aos poucos vem se aproximando do patamar de antes da crise financeira. No acumulado dos últimos 12 meses, a variação foi de 4,8%.

A atividade de Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria, com a terceira maior participação na taxa global do varejo, apresentou crescimento de 15,5% na comparação com fevereiro de 2009 e taxa acumulada nos últimos 12 meses de 12,1%. A expansão da massa de salários, como visto acima, junto com a diversificação na linha de produtos comercializados, são os principais fatores explicativos do desempenho positivo do segmento.

O segmento de Tecidos, vestuário e calçados ,responsável pelo quarto maior impacto na formação da taxa global (5,8%) , obteve acréscimo no volume de vendas, em fevereiro, da ordem de 11,8% sobre igual mês do ano passado e taxa acumulada nos últimos 12 meses de -1,2%. Este resultado mostra um melhor desempenho da atividade, mesmo tendo o setor um comportamento crescente dos preços (variação de 6,1% no grupo Vestuário, comparado com o índice geral de 4,8%, segundo o IPCA), ao longo dos últimos 12 meses.

O segmento de Combustíveis e lubrificantes , com 4,8% de variação do volume de vendas na relação fevereiro10/fevereiro09, respondeu este mês pela quinta maior contribuição à taxa global do varejo. Em termos de desempenho acumulado, a taxa de variação chegou aos 1,2% nos últimos 12 meses. Atribui-se este comportamento à alta de preços do álcool combustível (variação de 29,3% nos últimos 12 meses – subitem Álcool do item Combustível do IPCA).

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular