Pravda.ru

Negόcios

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola

14.01.2009
 
Pages: 123

Em 2008 o Brasil colheu 2.809.379 t ou 46,8 milhões de sacas de 60 kg. Para 2009, espera-se queda de 16,2% na produção, mas as atuais estimativas ainda podem mudar bastante nos próximos levantamentos. Em relação à safra colhida em 2008, a área total diminui 1,6%, a área a ser colhida está reduzida em 2,6% e o principal indicativo de “ano de baixa” (produtividade) encontra-se, inicialmente, reduzido em 14,0%. O café alterna anos de altas e baixas produtividades, uma característica da espécie Coffea arábica, a predominante no País. O café conilon, pertencente à espécie Coffea canephora, expressa com menor intensidade esta característica bianual devido à sua rusticidade. No mesmo grupo estão materiais genéticos como Robusta, Robustão, Vitória e outros.

As chuvas ocorridas no último trimestre de 2008 certamente concorreram para propiciar três floradas na maioria das regiões cafeeiras do Sudeste e do Sul (Paraná). No entanto, com o grande atraso verificado na colheita de 2008 (devido a problemas de estiagem em 2007), um fato pouco comum ocorreu nos cafezais: no mesmo pé de café, a nova florada conviveu com frutos tardios de 2008. Ainda não se pode afirmar se este fato trouxe alguma injúria às plantas.

Em 2008, produção de cereais, leguminosas e oleaginosas atingiu 145,8 milhões de toneladas

A décima segunda estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, indica uma produção da ordem de 145,8 milhões de toneladas. Superior em 9,5% à obtida em 2007 (133,1 milhões de toneladas). Esse volume supera em apenas 144.012 t o previsto em novembro. O incremento verificado é devido, principalmente, a reavaliações das culturas de inverno, especialmente o trigo. A área a ser colhida (47,2 milhões de hectares) aumentou em 4,1% frente a 2007. As culturas investigadas que ocuparam as maiores áreas em 2008 foram a soja, com 21,3 milhões de hectares, o milho com 14,4 milhões de hectares e o arroz com 2,9 milhões de hectares. O somatório das safras destes três produtos representa 89,7% da produção nacional estimada de grãos.

Regionalmente, a estimativa de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas está assim distribuída: Região Sul, 61,3 milhões de toneladas; Centro-Oeste, 50,7 milhões de toneladas; Sudeste, 17,5 milhões de toneladas; Nordeste, 12,5 milhões de toneladas e Norte, 3,8 milhões de toneladas.

Dentre os 25 produtos selecionados, 19 apresentam alta na estimativa de produção, em relação a 2007: amendoim em casca 1ª safra (38,8%), arroz em casca (9,7%), aveia em grão (12,5%), batata-inglesa 1ª safra (0,2%), batata-inglesa 2ª safra (24,1%), batata-inglesa 3ª safra (5,6%), cacau em amêndoa (5,8%), café em grão (25,0%), cana-de-açúcar (19,2%), feijão em grão 2ª safra (29,6%), feijão em grão 3ª safra (5,1%), laranja (0,9 %), mamona em baga (34,5%), milho em grão 1ª safra (10,7%), milho em grão 2ª safra (19,3%), soja em grão (3,4%), sorgo em grão (40,0%), trigo em grão (47,1%) e triticale em grão (1,6%). Com variação negativa: algodão herbáceo em caroço (2,4%), amendoim em casca 2ª safra (5,2%), cebola (1,3%), cevada em grão (0,4%), feijão em grão 1ª safra (9,9%) e mandioca (1,3%).

Com relação aos produtos cultivados na safra de verão, vale destacar que o arroz, milho e soja, principais culturas que respondem por aproximadamente 90% da produção nacional de grãos, apresentaram desempenhos muito bons com incrementos de 9,7%, 13,3% e 3,4%, respectivamente. Salienta-se também, que as cotações registraram bom nível até a metade do ano, mas a partir do segundo semestre sofreram quedas, especialmente, devido à crise mundial.

Para o café, dezembro marcou o final da safra de 2008. Em relação a 2007, o destaque foi Minas Gerais, maior produtor nacional, com alta de 43,5% na produção. Os números do Espírito Santo, segundo maior produtor do país, mostraram pequeno acréscimo de 0,1%, apesar da estiagem verificada em 2007. A falta de chuvas só não causou resultados negativos por causa da prática da irrigação, normalmente empregada na região.

Para o arábica, cultivado no sul do Estado, não houve registros de prejuízos. Ao contrário, 2008 foi considerado, pelos próprios cafeicultores, um ano excepcional para esta espécie. Os demais estados, grandes produtores de café, terminaram a safra confirmando acréscimos de produção, como São Paulo (18,2%), Rondônia (27,0%), Bahia (12,6%) e Paraná (49,9%). Com relação à área colhida, as variações em relação a 2007 são: Minas Gerais (+0,3%), Espírito Santo (-4,1%), Bahia (+3,0%),

São Paulo (-9,3%), Rondônia (-1,3%) e Paraná (-0,5%). A produção total do País cresceu 25,0% em relação a 2007. O rendimento médio nacional sobiu 27,2%, o que evidencia a bianualidade do café em seu ciclo de alta. A área colhida chega ao final da safra com decréscimo de 1,8% em relação a 2007.

Com a reavaliação das estimativas, a produção brasileira de cana-de-açúcar em 2008 foi da ordem de 653.181.799 toneladas, o que representou um crescimento de 19,2% em relação a 2007, e 0,3% ao do mês anterior. A expansão da área plantada em 12,5%, reflexo dos novos projetos que estão sendo implantados no país para atender a demanda de álcool, foi a principal responsável pelo crescimento da produção. Também, a produtividade vem crescendo nos últimos anos com a introdução de novas variedades e novas tecnologias.

Pages: 123

Fotos popular