Pravda.ru

Negόcios

Brasil: análise do sector de serviços II

01.08.2008
 
Pages: 123
Brasil: análise do sector de serviços II

Segmento de serviços prestados às empresas era o principal na categoria de grandes empresas de serviços

Enquadravam-se na categoria de grande porte (empresas com 250 ou mais pessoas ocupadas), apenas 3.055 empresas de serviços não-financeiros que, no entanto, registraram, em 2006, mais da metade do valor adicionado do setor de serviços (R$ 140,9 bilhões), além de R$ 274,1 bilhões em receita operacional líquida e empregavam 3,2 bilhões de pessoas, cujas retiradas, salários e outras remunerações totalizaram R$ 47,1 bilhões. O maior número de empresas, dentre as grandes companhias, estavam no segmento de serviços prestados às empresas (47,1%), seguido por transportes, serviços auxiliares de transportes e correio (33,8%). Enquanto o salário médio mensal para o total das empresas era de 2,7 salários mínimos, para as grandes era de 3,3 salários mínimos. Já a produtividade, era de R$ 34,1 por pessoa, no total do setor, e R$ 43,9 por pessoa para as grandes empresas.

As empresas que obtiveram a maior participação no valor adicionado, para o total das empresas, pertenciam ao segmento de serviços prestados às empresas (28,8%), enquanto para as grandes empresas atuavam no segmento de serviços de informação (37,1%). Para pessoal ocupado e salários, retiradas e outras remunerações, o segmento de serviços prestados às empresas ocupava o primeiro lugar em participação tanto para o total das empresas (36,2% e 33,2%, respectivamente) quanto para as grandes empresas (53,1% e 36,1%, respectivamente), em 2006. Quanto à participação na receita operacional líquida, para o total do setor de serviços, liderava o segmento de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (29,9%), enquanto entre as empresas de grande porte, nesta variável econômica, o segmento de serviços de informação ocupava o primeiro lugar (42,2%).

As grandes empresas apresentam salários médios maiores que para o total das empresas em cinco dos sete segmentos: serviços de informação (9,4 salários mínimos contra 6,3 salários mínimos); atividades imobiliárias e de aluguel de bens móveis e imóveis (4,2 salários mínimos contra 2,6 salários mínimos); transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (4,1 salários mínimos contra 3,2 salários mínimos); serviços de manutenção e reparação (3,9 salários mínimos contra 1,8 salários mínimos) e serviços prestados às famílias (2,3 salários mínimos contra 1,5 salários mínimos). Nos segmentos de serviços prestados às empresas e outras atividades de serviços, o salário médio é praticamente o mesmo para o total das empresas e para as grandes empresas, aproximadamente 2,3 salários mínimos e 2,5 salários mínimos, respectivamente.

Participação da receita operacional líquida das grandes empresas de serviços aumentou entre 2000 e 2006

A análise da PAS revelou que, entre os anos 2000 e 2006, a participação da receita operacional líquida das grandes empresas do setor de serviços aumentou de 51,9% para 54,7%, bem como o valor adicionado (de 48,5% para 50,7%) e pessoal ocupado (37,1% para 39,3%). Manteve-se estável, nesta comparação, o número de empresas (0,3%) e salários, retiradas e outras remunerações (cerca de 49,6%).

O tamanho médio das empresas de serviços, medido pela média de pessoal ocupado por empresa, cresceu 13,8%, passando de 922 pessoas ocupadas, em 2000, para 1.050 pessoas ocupadas, em 2006. Dois segmentos tiveram crescimento do tamanho médio das grandes empresas acima do crescimento apresentado pelo total das grandes empresas: serviços prestados às empresas (crescimento de 23,8%) e serviços prestados às famílias (crescimento de 15,0%). Em sentido oposto, dois segmentos apresentaram redução do tamanho médio das empresas - serviços de informação (com redução de -10,7%) e serviços de manutenção e reparação (com redução de -25,7%).

Na comparação 2000/2006, o segmento de serviços prestados às empresas das grandes empresas, registrou crescimentos em todas as variáveis econômicas - no valor adicionado (17,2% para 26,3%), receita operacional líquida (12,6% para 18%), continuou liderando em pessoal ocupado (46,8% para 53,1%), bem como no número de empresas (de 45,2% para 47,1%), e passou a liderar o pagamento de salários, retiradas e outras remunerações (28,9% para 36,1%).

As grandes empresas do segmento de serviços de informação e do segmento de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio apresentaram, nesse período, queda de participação em quase todas as variáveis econômicas: valor adicionado (42,1% para 37,1% e 33,7% para 29,9%, respectivamente), receita operacional líquida (45,7% para 42,2% e 34,1% para 32,8%), pessoal ocupado (8,9% para 7,4% e 33,1% para 28,0%) e salários, retiradas e outras remuneração (23,9% para 20,7% e 38,3% para 34,5%). Em relação ao número de empresas, houve queda de participação das grandes de transporte, serviços auxiliares ao transporte e correio, de 37,1% para 33,8%, mas houve pequeno aumento para o segmento de serviços de informação, nessa categoria, de 6,3% para 6,7%.

Pages: 123

Loading. Please wait...

Fotos popular